Como a F360 cresce quase 50% ao ano desde a pandemia e gerando margem

Plataforma de gestão financeira fundada em 2014 atende cerca de 13 mil clientes e alcançou faturamento de mais de R$ 30 milhões em 2023

A F360, plataforma de gestão financeira para franquias e varejo fundada em 2014, vem usando sua expertise para aproveitar oportunidades de mercado. Com isso, depois de aumentar sua receita em aproximadamente 50% ao ano  de 2019 a 2023, atingindo mais de R$ 30 milhões de faturamento, a F360 espera continuar crescendo num ritmo acelerado de crescimento semelhante nos próximos anos com uma margem operacional sólida.

Henrique Carbonell, fundador e CEO da startup, explica que a estratégia da empresa está muito focada em ganho de produtividade e performance da própria operação, sem depender do crescimento da economia do país, um fator que vai além do seu controle. “Estamos preparados para atender mais empresas do varejo”, diz.

Seung Beom Kim, CFO da F360, comenta que a startup vem, cada vez mais, conseguindo evitar as “distrações” para colocar força no que, de fato, gera resultado. “É fruto de um aprendizado constante de tentativa e erro, e disciplina de execução com foco em resultado” , diz Kim.

Uma dessas frentes de ação é o “Business Development”, que na prática nada mais é que uma frente da companhia que busca possíveis marcas para estabelecer parcerias e ofertar os produtos. E essa estratégia pode ser feita de forma direta, na qual os consultores especializados procuram os varejistas para oferecer a solução ou indireta quando os franqueados contratam o software para uma melhor experiência na sua gestão financeira.

Kim comenta que, quando em uma determinada marca franqueada há clientes usando a plataforma da F360 e que enxergam um bom valor no produto, estes levam essa experiência como caso de sucesso para a franqueadora ofertar para toda a rede com uma condição comercial diferenciada. “Esse carimbo de homologação diz muito para o franqueado, sensibiliza, e isso tem sido catalisador de crescimento para a F360”, explica.

Outra frente importante é a estratégia de cross-sell aplicada à base de clientes da F360 que já usam o módulo F360 Finanças, o carro-chefe da empresa. Uma dessas ofertas se dá com o F360 Contábil, um produto totalmente integrado ao F360 Finanças que permite ao empresário compartilhar informações e visualizar alguns status fiscais, automatizando esse processo.

Kim comenta que as lideranças da startup levam uma provocação constante para todos os colaboradores de como podemos gerar mais valor para o varejista e para a F360. “É preciso muita disciplina e foco constante, para reavaliar os diferentes projetos e entender o que pode parecer oportunidade, mas na verdade é distração, e o que pode parecer distração, mas na verdade pode ser uma disrupção e ser transformador para o negócio. Essa provocação faz parte do jogo. É um desafio buscar conforto no desconforto.”

Carbonell complementa dizendo que ter consistência na execução é a chave para seguir crescendo. “Se não tivermos consistência na execução e pessoas boas nos lugares certos, não vamos entregar o que queremos e o que o mercado espera”, diz. “O maior desafio é estar com as pessoas certas, no timing certo, acompanhando o ritmo de crescimento da empresa. E estamos bem endereçados nisso”.

Uma das estratégias da F360 para reter bons talentos é um programa de Partnership, chamado Finters Partner. Por meio dele, alguns funcionários da startup têm a oportunidade de se tornarem sócios da empresa, uma estratégia que alinha o comprometimento da equipe à visão de médio e longo prazo da companhia. “Todos os colaboradores podem mostrar interesse, e então temos um comitê que faz entrevistas para entender essa viabilidade”.

Startup camelo

Seguindo o pilar de crescimento financeiramente autossustentável, a F360 segue esse modelo, por isso, implementou na sua rotina de trabalho a execução e a priorização, afirma Kim. “Focado em melhorar a satisfação do nosso cliente, temos a disciplina de buscar incessantemente a melhoria de performance e gerenciar constantemente os custos e despesas para impedir desperdícios. Evitamos distrações de rota, mas com a constante provocação do que pode ser disruptivo e vale a pena o risco”.

Kim alega que o resultado financeiro faz parte do jeito de ser da F360. Isso envolve, além da boa gestão financeira, saber o que priorizar dentro das oportunidades que surgem. “A nossa provocação é constante com os líderes de todas as áreas, sem um conformismo de aceitar que chegamos no limite”, afirma. “Não queremos sobrecarregar ou levar nenhuma estrutura a exaustão, e para isso provocamos uma reinvenção da roda de tempos em tempos”.

Nesse sentido, a F360 faz uso do que se chama “rule of 40”, ou regra dos 40%, um indicador de desempenho usado para medir o sucesso de empresas do tipo SaaS (software as a service). Essa métrica permite analisar a taxa de crescimento da receita com as margens de lucro, indicando a real saúde financeira do negócio.

O cálculo da regra dos 40% é simples: basta somar a taxa de crescimento e a margem de lucro. Se o resultado somar 40%, então a empresa é considerada próspera, estável e atrativa aos olhos de investidores, abrindo portas para boas oportunidades de investimento. É uma métrica padronizada para comparar o desempenho financeiro entre diferentes empresas do mesmo serviço. Nos últimos anos, a F360 tem atingido uma escala de 80 nessa regra.

Sobre a F360

Plataforma de gestão financeira para franquias e varejo fundada em 2014 por Henrique Carbonell. Em 2020, recebeu investimento da HiPartners e HIX Capital. Atualmente, atende mais de 11 mil pontos de venda com sua solução.

** A opinião expressa neste texto não é necessariamente a mesma deste site de notícias.

© 2023 Fashion Like | A reprodução deste conteúdo é estritamente proibida sem autorização prévia.