Criadora de conteúdo teen fala sobre responsabilidade de influenciar crianças

Influenciadora Sam Bechara tem conteúdo focado em nostalgia para o público infantojuvenil

Lidar com crianças e adolescentes pode não ser uma tarefa das mais fáceis, mas não para Sam Bechara. Sucesso nas redes sociais com cerca de 10 milhões de seguidores, a influenciadora ficou famosa pelo bordão “Olha o que eu achei”, se referindo a produtos e brinquedos nostálgicos dos anos 2000 e, logo, virou febre no público teen. Aos 27 anos, ela atribui o crescimento na internet devido à criança florescida dentro de si, o que acabou fazendo com que o público mais jovem se identificasse com a criadora de conteúdo. Com tamanho engajamento que tem nas mãos, Sam fala sobre a responsabilidade que precisa carregar.

Sam Bechara / Divulgação

Nunca fiz vídeos buscando um público em específico. Gravo o que gosto e acabei cativando um público vasto que vai do infantojuvenil ao adulto. Minha natureza é super tranquila, nunca fui de falar coisas mais adultas ou exercer algum comportamento mais pesado que influenciaria negativamente uma criança, tanto que meu conteúdo é mais familiar. Sempre tive cuidado com o que posto, respeitando todos e nunca incentivando algo negativo”, conta.

“Jamais cheguei a pesquisar sobre, pois meu conteúdo em si é light, não aborda temas ou assuntos que precisam de um cuidado maior. É de entretenimento e alegria”, responde a jovem ao ser perguntada se precisou ir atrás de informações para ter mais responsabilidade na hora de criar conteúdo para crianças e adolescentes. Apesar de sua natureza pura, a paulistana revela que colegas do meio têm que se policiar quanto ao conteúdo publicado nas redes.

“Honestamente, eu não sou e nunca fui de ter um linguajar pesado, mas sei que outros colegas que trabalham com esse público tiveram que tomar cuidado com o palavreado. Os cuidados são mais em vestimentas, optando por nada muito sensual e não fazer dancinhas com gestos muito vulgares também. Como não trato de assuntos polêmicos e sensíveis, acredito que meu papel é entreter de maneira saudável, não tem nada negativo em meus vídeos que abalem a opinião de um futuro adulto. Até mesmo porque a maior parte do meu conteúdo que bombou é sobre nostalgia, um sentimento positivo que agrada a todos”, diz.

Sam Bechara / Divulgação

Por fim, segundo Sam, a reação e os comentários dos pais de crianças e adolescentes que seguem a influenciadora ratificam o cuidado e responsabilidade que a criadora carrega ao exibir seu conteúdo na web: “Recebo milhares de incentivos de pais que me elogiam e dizem que sou um dos poucos canais que conseguem deixar os filhos assistirem sossegados, pois adoram meu jeito de ser e falar, entretendo toda a família”.

** A opinião expressa neste texto não é necessariamente a mesma deste site de notícias.

© 2023 Fashion Like | A reprodução deste conteúdo é estritamente proibida sem autorização prévia.